Ambient on/off

Sign up

 

Continue

Continue By creating an account you agree to the Terms of Service & Privacy Policy

[Orb&Tal] Posicionamento Orbital #06 (11/05 a 20/05)

Day 2,009, 15:35 Published in Brazil Brazil by Greywacke




Brasil, 21 de maio de 2013 – Dia 2009 do Erepublik

Pleiadeanos e Terráqueos,

Venho aqui, após um desconfortável longo intervalo de tempo, apresentar a edição #06 do Posicionamento Orbital.

Se você não acompanhou, leia as primeiras edições:
Posicionamento Orbital #01
Posicionamento Orbital #02
Posicionamento Orbital #03
Posicionamento Orbital #04
Posicionamento Orbital #05



Damos prosseguimento ao projeto que alcançou muito sucesso na comunidade brasileira a partir de suas primeiras edições. Para aqueles que não conhecem, segue uma breve explicação do que é este projeto.

Conversando internamente, observamos que falta não só à Orb mas também a todos os partidos uma maneira de consolidar posições e demonstrar qual é o seu pensamento político em diversos aspectos.

Então, resolvemos criar este projeto que é uma forma de expor os pensamentos do partido sobre o que acontece no eBrasil.



Assuma órbita padrão Sr. Sulu!






Tópicos de 11/05 a 20/05:


1 - 1 - A crise política:
"Governo e oposição estão com as relações políticas tensas.
O Fórum, antigo palco de debates e acordos estaria sendo evitado por membros do governo, para evitar discutir e tomar decisões fora de sua base parlamentar. Como resposta, os partidos de oposição estariam fazendo uma oposição mais dura, e exercendo marcação cerrada sobre erros cometidos nas iniciativas do governo. Isso tornou o Fórum um campo de troca de ofensas e sarcasmos, com todos ignorando as propostas e ideias apresentadas por jogadores e congressistas do outro lado.
Em sua opinião, um governo eleito tem o direito de tomar suas decisões excluindo a opinião da oposição?
Por outro lado, a oposição (que também tem congressistas eleitos pela população) tem o direito de agir sistematicamente contra o governo?"


Em última análise, essa questão remete-se aos limites éticos na prática e na disputa política. A pergunta foi colocada em duas partes:

Primeira: Se um governo eleito teria o direito de tomar suas decisões excluindo a opinião da oposição.
Segunda, e consequentemente: Se a oposição teria o direito de fazer oposição sistemática às propostas do governo.

A constatação fundamental é de que as disputas entre as facções são um fato real, com um grupo tentando “sabotar” as ações do outro.
Essas disputas produziram uma degradação das práticas políticas no país, na qual a insatisfação genuína não encontra espaço para expressar-se e onde a vontade de trabalhar pelo bem comum está em segundo plano, onde boas ideias são desprezadas com base em quem as propõe e são bombardeadas automaticamente de maneiras irresponsáveis.
Não seria um produto natural da divisão política existente, mas na transformação desta em uma teimosa disputa de ego entre indivíduos das duas facções.

É quase consensual que é NECESSÁRIO REENCONTRAR O EQUILÍBRIO ENTRE GOVERNO E OPOSIÇÃO, cada um ciente de seu papel. Como articular esse reequilíbrio é o problema, não existindo uma fórmula mágica para isso, exigindo um grande esforço de ambas as partes.

É necessário, antes de tudo, se desarmar, relevar os ataques sofridos, se abstendo de retaliações. Em seguida, reconhecer seus erros e falhas, apresentando soluções e aceitando as sugestões, não importando de onde se originem.


Respondendo às duas perguntas, podemos considerar que os membros da ORB consideram a questão do “direito de governar sem ouvir a oposição” e do “direito de fazer oposição sistemática” como questões secundárias, a conclusão é que, não importa o que prevaleça em cada um dos lados, o essencial é que cada grupo respeite o direito de expressão da opinião do outro grupo, conservando seu direito de não aceitar essa opinião, e que cada um arque com as consequências de suas decisões.
Qualquer movimento de sabotagem ou censura, tanto da situação como da oposição, deve ser denunciado e rechaçado com firmeza.





2 - Crise financeira:
"É de conhecimento geral que a arrecadação caiu e não está acompanhando os gastos realizados, fazendo inclusive que o governo tenha desrespeitado a Lei de Responsabilidade Fiscal, gastado mais que arrecada. Chegando ao ponto em que falta dinheiro para estabelecimento de mpps.
Entre os gastos fixos do governo temos gastos com o exército, o projeto Farmer, e o pagamento de mpps.
A arrecadação é essencialmente de impostos (e algumas doações).
Pergunta: Como reequilibrar as finanças do governo?"



A segunda questão proposta reflete, de certa forma, a disputa política existente. O governo Lorenzo de abril apresentou um déficit que desrespeitou a Lei de Responsabilidade Fiscal, criada por insistente exigência do grupo que apoiou, e que se mantém no poder. O problema financeiro existe, a queda da arrecadação é um fenômeno observado há algum tempo, mas a “crise” financeira tem significativa contribuição política em sua composição.
Embora os orbitianos, em sua maioria, assumam humildemente sua falta de experiência com problemas financeiros (já que provenientes de um planeta que já superou a atração doentia por bens materiais), algumas conclusões importantes foram obtidas.

Em primeiro lugar, a necessidade de transparência no trato com o dinheiro público, e o reconhecimento de que há instrumentos eficientes para que esta seja atingida (como o RoBot).
Em segundo lugar, o bom senso nos diz que é preciso regular os gastos. São apontadas como despesas menos importantes a compra de dano e a redução das mpps. Ninguém levantou a hipótese de aumento de impostos como solução para a falta de dinheiro.





Gostou? Discordou?

Comente e deixe sua opinião sobre os assuntos discutidos!

Venha ser membro do partido que dá show de atividade no eBrasil!!


Para entrar na Orb, você deve conhecer nosso Estatuto e ter em mente nossos valores e objetivos.

Ingresse na Ordem Brasileira
Participe do nosso chat no IRC #Orb
Cadastre-se no nosso Portal Orb





 

Comments

Anna Viajada Romanov Bourbon
Anna Viajada Romanov Bourbon Day 2,009, 15:39

Pertamaxxx

Hummerman
Hummerman Day 2,009, 15:44

Bom artigo, só discordei do termo "crise". A arrecadação de Abril n foi tão prejudicada assim, com apenas 10% a mais teria se cumprido a LFR.

O pessoal fez muito alarde pra uma coisa de nem tanta expressão.

nW0lf
nW0lf Day 2,009, 16:33

Assim como com um breve ajuste nos gastos, se passando uma parte para esse mês, a LRF também seria cumprida.

IMO o maior problema aí foi a falta de comunicação adequada do governo para discutir o problema, pois soluções haviam várias.

Greywacke
Greywacke Day 2,009, 00:59

Concordo com os dois, conforme está escrito no texto:
"O problema financeiro existe, a queda da arrecadação é um fenômeno observado há algum tempo, mas a “crise” financeira tem significativa contribuição política em sua composição."

HazeII
HazeII Day 2,009, 15:47

Orbmaxxx
Votadomaxxx

Ollecram
Ollecram Day 2,009, 15:58

Ficou muito bom Grey!

Votadão!

Labeu
Labeu Day 2,009, 16:01

apoiado!!

leflesco tles e tlinta
leflesco tles e tlinta Day 2,009, 16:04

ótima análise! parabéns aos que ajudaram a escrever!

Mad Ghost
Mad Ghost Day 2,009, 16:06

Muito bom, parabéns Grey

Orbmaxxx

nW0lf
nW0lf Day 2,009, 16:31

Hehehe, essa "crise" financeira do mês passado não existiu. Sim, houve queda na arrecadação - assim como em outros meses. De dezembro pra janeiro, por exemplo, a queda foi mais expressiva e mesmo assim o governo em exercício (And-Galo) conseguiu adaptar os gastos e fechar o mês no verde.

Era perfeitamente possível o governo de abril ter fechado o mês e cumprido a LRF - sim, são decisões difíceis, mas é mera questão de prioridade: a LRF é mais importante que finalizar os pagamentos do Farmer, por exemplo. Infelizmente, decidiram tomar o caminho fácil de "abrir a carteira" ao invés de negociar e fizeram isso da pior maneira possível, atropelando e mentindo para o Congresso para aprovar as doações...

O que nos leva ao outro ponto: o descaso pela oposição. Havia uma saída simples para o "problema" da arrecadação, mas isso não foi nem discutido. Pior, não foi nem considerado, pois a possibilidade foi levantada com o MF em pvt... assim como as críticas sobre as mal-faladas planilhas que só foram corrigidas após movimentação nacional em shouts, mesmo após mais de semana de notificação do erro.

É interessante notar que uma das maiores críticas da "frigideira" era sobre o "governo fechado" da "panela". Entretanto, agora que estão no poder fecham ativamente o governo: migração para mpchats, ignorando críticas (mesmo as válidas)... só prova que boa parte dos eBrasileiros quer jogar pro seu grupinho, ao invés de jogar pro eBR.

Greywacke
Greywacke Day 2,010, 01:00

PERFEITO!

D V N O
D V N O Day 2,009, 16:44

Muito bom!

Concordo em muitos pontos em relação ao uso do fórum e confluto político, mas sinto uma maior agressividade do atual grupo de oposição do que má vontade do governo.

Já sobre a questão financeira, não tenho muito conhecimento na questão e julguei que fator situacionais foram os principais responsáveis pela quebra da LRF do mes passado.

nW0lf
nW0lf Day 2,009, 16:56

A coisa vai em cascata. Por exemplo, as críticas iniciais sobre as planilhas foram em pvt com o Bozo. Ao ser ignorado, mandei na ouvidoria. Depois no fórum. Depois de uma semana sem arrumarem... convenhamos, uma maior agressividade foi a única maneira de fazer o governo arrumar.

Mas sobre a LRF: poderia não ter sido quebrada. Uma solução, inclusive, era quebrá-la... mas o julgamento maior não foi por ter/não ter quebrado, mas sim pelo governo ter escolhido o que fazer sem discutir a situação com ninguém.

D V N O
D V N O Day 2,009, 17:05

Acho que o maior problema foi a demora na constatação de que 1) o governo não teria capacidade de recuperar a grana gasta na guerra da Mina e 2) a demora em apurar os dados e torná-los públicos na planilha.

Ambas as falhas podem ser justificadas pela oposição ser composta por novos membros do governo (todo o know how sobre como administrar a burocracia da máquina ficou com a panela que, após desentendimentos de ambos os lados, acabou ficando de fora dos governos). Acredito que com o tempo questões como essa serão minimizadas.

Já sobre a falha na comunicação, ela existiu e o comunicado deveria ter sido mais pró-ativo (no entando a malhação ocorreria de um jeito ou de outro, e temo dizer que seria pior se, no meio do mandato, o governo cantasse a bola de que fecharia em deficit).

nW0lf
nW0lf Day 2,009, 17:12

Mas aí é que tá, Yan. Na metade do mandato a previsão governamental *já era* fechar em déficit e o dinheiro da mina já havia sido coberto por particulares. Não foi uma questão técnica, até pq a maior parte da equipe do MF de abril já havia participado de outros MFs.

Se houvessem dito no meio do mandato que essa era a previsão e começassem uma discussão, choveriam opções - tanto para evitar ou até para aprovar o déficit. No final, o governo tinha maioria no Congresso e poderia aprovar o que quisesse, certo?

Mas agindo como agiu e deixando a decisão sobre o dinheiro público na mão de uma ou duas pessoas, o governo desrespeitou tanto a LRF quanto o Congresso no qual tinha maioria.

D V N O
D V N O Day 2,009, 17:24

Eu discordo um pouco, e vejo mais gente empenhada em minar o governo do que em ajudá-lo a melhorar.

Mas essa é a minha humilde percepção.

Hummerman
Hummerman Day 2,010, 03:47

@nw0lf, eu havia previsto junto com a Loritita que a redução do VAT sobre comida naquela época do governo Zunker faria despencar a arrecadação.Qual foi o erro do governo neste caso? Faltou nos ouvir?

Acredito ter sido muito mais uma questão de escolha do governo tanto naquela época quanto em Abril. Não foi erro, foi opção de escolha governamental.

nW0lf
nW0lf Day 2,010, 11:37

Mas são situações diferentes. No caso da diminuição do VAT de comida, houve a discussão - e o governo decidiu realizar o teste mesmo sabendo do risco. Assim que foi provado que não deu certo, voltou-se ao VAT antigo. A LRF e as contas não foram afetadas.

Há uma linha tênue entre a responsabilidade do governo e do Congresso sobre o dinheiro público, e a LRF foi criada pra isso: a responsabilidade é do governo *até começarem a gastar demais*. Mas o gov. resolveu pegar pra sí a resp. que seria do congresso ao não cumprir a LRF e não discutir o assunto.

PARAQUEDISTA
PARAQUEDISTA Day 2,009, 16:51

Orbital!

ASPF
ASPF Day 2,009, 17:06

V

Critico
Critico Day 2,009, 18:24

Engraçado, não vejo a oposição comentar o lançamento do impeachment contra o presidente, de forma arbitrária, neste que foi uma ação desesperada e sorrateira.

O que a ORB pensa sobre?

MaverickMAX
MaverickMAX Day 2,009, 19:34

Nós comentamos na época. Acho que apesar de considerar necessário, foi precipitado. O resultado óbvio é que o impeach foi negado.

Greywacke
Greywacke Day 2,009, 00:58

Em minha OPINIÃO PESSOAL, este artigo responde a essa pergunta: A proposta de impeachment foi o resultado da incapacidade da situação e da oposição encontrarem um campo comum para diálogo, quando nenhum dos lados consegue dialogar civilizadamente, ocorre uma escalada de agressões dos dois lados. A proposta, apesar de lançada por um congressista por conta própria, foi a ação final da oposição, e a negação deste, a resposta da situação.

Critico
Critico Day 2,010, 04:19

Ok, agora vamos a um segundo momento, depois deste erro, vimos claramente que a BASE inteira da oposição, a qual a ORB pertence, provavelmente votou positivamente (observando os 17 votos favoráveis), se foi uma ação isolada, não deveria ter sido negada pela oposição? pq houve tamanho apoio?

MaverickMAX
MaverickMAX Day 2,010, 05:01

@Critico, como eu disse, o impeach foi apenas precipitado, mas não inoportuno. Não me lembro como os congressistas da orb votaram (logo vai sair um artigo em que falaremos sobre nossa posição).

O governo continua ruim. Não acho que deveria ser negada. Mas acho que vcs, que não tão nem aí pra qq acordo, deviam um pouquinho de vergonha ao criticar alguém que faz algo que vcs fazem sem nenhum pudor.

Eu critiquei na época o impeachment em um shout, mas não que eu ache que era desnecessário, mas pq eu acho q política não se faz assim. Ele lançou a proposta somente na emoção, sem nem cogitar se teria ou não apoio.

Em tempo, um impeachment tá bem longe do amplo leque de podridões que seu partido comete.

Essas regras do congresso tem muitas brechas que permitem que idiotas falem bobagens o tempo todo. Antes eu ficava meio puta com isso, agora só tenho muita pena de quem age assim.

Greywacke
Greywacke Day 2,010, 08:09

Não foi um "erro", foi uma consequência de uma condução raivosa das relações políticas entre situação e oposição. Muita gente só votou sim porque sabia que não ia passar. Pode parecer estranho, mas, como eu disse em conversa reservada, há uma enorme diferença entre protestar com uma passeata e protestar atirando no Arquiduque Francisco Fernando da Áustria.

Thales Viana
Thales Viana Day 2,009, 18:27

Votado!

LFernandoX
LFernandoX Day 2,009, 19:16

Orbmaxxx

Ao infinito e além!

Ichi nii
Ichi nii Day 2,009, 19:33

Esses ultimos governos estão um lixo...

MaverickMAX
MaverickMAX Day 2,009, 19:36

orbmaxxx

Booh
Booh Day 2,009, 21:52

Votadíssimo!!!

Olorum
Olorum Day 2,010, 09:08

O Torneio de MUs já acabou e até agora o Governo não postou o seu "SUPER PLANEJAMENTO" do Ministério da Fazenda, que já estava certo e seria colocado em prática.

E isso depois do Governo ter censurado o Congresso, não permitindo que sequer discutíssemos o Assunto.

 
Post your comment

What is this?

You are reading an article written by a citizen of eRepublik, an immersive multiplayer strategy game based on real life countries. Create your own character and help your country achieve its glory while establishing yourself as a war hero, renowned publisher or finance guru.