Ambient on/off

Sign up

 

Continue

Continue By creating an account you agree to the Terms of Service & Privacy Policy
Resend email   |  Can't find the email? confirmation@erepublik.com

Resend the confirmation email to this address

Resend email Can't find the email? confirmation@erepublik.com

Analises...

Day 1,966, 07:05 by John Bokinski

Há já algum tempo que gostava de comparar o potencial real das nossas divisões com as de Espanha de forma mais realista. Existe informação no eGov (um site que recolhe dados sobre o eRepublik) que nos permite fazer algumas comparações, mas esses dados não permitem avaliar potencial com muita precisão.

A ideia geral é que a nossa D1 é actualmente muito equilibrada à D1 espanhola, e as nossas D2, D3 e D4 estão bastante longe das divisões homólogas espanholas, mas temos dificuldade em saber qual a diferença real e sobretudo temos dificuldade em monitorar a evolução dessas diferenças.

Do eGov pode-se tirar 3 tipos de dados:

- Dados de treino diário por divisão, a principal limitação destes dados é que são difíceis de obter retroactivamente, ou tiram-se no próprio dia, ou não é possível analisar o passado com dados globais, só jogador a jogador

- Dados de dano diários por divisão, estes dados podemos tirar com facilidade retroactivamente, mas o dano dado diariamente depende muito dos hábitos de luta de um país, e cada vez mais, os países aconselham os seus novatos a lutar pouco, sobretudo países como Portugal que não tem muito por que lutar hoje em dia

- Dados de força por jogador. O problema nesta análise é que tirar informação de 2000 jogadores portugueses e 5000 jogadores espanhóis é muito demorado e se recentemente foi feita uma análise bastante profunda com base nestes dados, é preciso um investimento de tempo significativo para que possa ser repetida e avaliar as evoluções.

Devido às limitações acima procurei desenvolver um método de análise que necessita de menos investimento, apesar de poder ter dados ligeiramente menos precisos. O método baseia-se na desconstrução do valor de dano diário em 3 factores:

- Volume – nº de jogadores que lutaram

- Esforço – nº de hits médios efectuados por cada jogador
Cada hit consome 10 unidades de saúde, por exemplo as FAP quando distribuem, permitem que um jogador lute 1000 unidades de saúde (ou 100 food fights). Ou seja, 1 hit = 1FF

- Força – valor médio dado por hit de cada jogador
O valor médio do hit por jogador depende da força base do jogador e da arma utilizada. Não é possível separar esta informação de forma agregada com base em dados do eGov.

Desconstruindo o dano diário nestas 3 componentes podemos retirar o dano que realmente nos interessa, que é o dado da força média dos nossos jogadores por divisão. Sabemos que os dados de volume são mais fiáveis os dados de treino que os dados de luta, e os dados de esforço são variáveis e apenas enviesam as análises de potencial. Sabemos também, que sobretudo na nossa D1 existem vários dos nossos jogadores mais fortes que não lutam e por isso os dados estão subestimados. Mas a mesma coisa pode ser verdade para os espanhóis.

O facto do eGov não registar rockets é neste caso uma vantagem porque elimina o efeito que o uso de rockets pode ter neste cálculo. Não avaliei ainda o efeito dos guerrilha fights no cálculo deste valor, pelo que pode haver enviesamentos que não estou a considerar.

Como ainda não tenho muitos dados recolhidos (1960-1964) não irei neste artigo ainda fazer muitas considerações, no entanto deixo-vos só uma noção dos gaps entre luta e treino comparando Portugal e Espanha.

D1

Treino – 96%
Luta – 66%

Isto quer dizer que apesar do número de jogadores que treinam em Portugal e Espanha serem bastante semelhantes, o número de jogadores que lutam são muito inferiores. Os dias em análise não envolveram nenhum dia com uma luta importante para Portugal, pelo que nunca dá para observar a D1 de Portugal a lutar de forma organizada. A D1 espanhola que normalmente já luta mais que a D1 portuguesa, inclui dias do Air Strike à Argentina pelo que existe um aumento do número de espanhóis a lutar.
Adicionalmente também ao nível do coeficiente esforço nota-se que a D1 portuguesa contêm muito a luta. Os jogadores que lutaram deram em média 87 hits, enquanto que os espanhóis deram 103 hits e a maioria das grandes potencias estão a dar 130 hits. Saliento que o facto de a D1 portuguesa estar a lutar pouco é resultado de haver várias MU’s que apoiam esse comportamento como forma de fortalecer os jogadores antes de subirem de divisão. Este tipo de comportamento não é seguido por todos os países.

D2

Treino – 33%
Luta – 21%

D3

Treino – 23%
Luta – 14%

Nestas duas divisões também se nota uma significativa diferença entre o número de jogadores que treinam em Portugal, face a Espanha e o número de jogadores que lutam, também face a Espanha. Tal como identificado em situações anteriores nota-se que nestas divisões estamos muito longe dos espanhóis.

D4

Treino – 24%
Luta – 20%

No caso da D4 existe uma diferença menor entre os comportamentos de luta e de treino, porque nesta divisão não existe grande incentivo a não lutar.

Logo que tenha informação mais consistente apresentarei resultados mais trabalhados.

 

Comments

Wigga
Wigga Day 1,966, 07:43

Pensei que tivesses ido fazer umas análises do ponto de vista clínico, mas é bom saber que continuas em forma =]

Julio de Matos
Julio de Matos Day 1,966, 16:32

tinha um trocadilho com análises do ponto de vista clínico mas com o alzheimer esqueci-me

Julio de Matos
Julio de Matos Day 1,966, 16:32

sei que tinha tipo a ver com urina

CatelynTullys
CatelynTullys Day 1,966, 07:49

Votado e subscrito com facilidade!

Um reparo... Desde que luto que vejo o pessoal a comparar forças... Não se deve comparar força, nem tão pouco o dano, mas sim influência...

O dano é impossível de contabilizar porque tem em conta a força do inimigo assim como a arma que este usa; isto é impossível de determinar.

A influência sim; é dependente do ranking militar de cada cidadão assim como da sua força e não tem outras variáveis incontroláveis.

Jazzychaz
Jazzychaz Day 1,966, 07:56

influencia= dano + % bonus do rank
dano=força*Qn
Qn=qualidade das armas usadas


não digas disparates...

CatelynTullys
CatelynTullys Day 1,966, 08:01

Desculpa se te ofendi!

http://prntscr.com/zqxuf

E o burro sou eu? Eles iam bater no minino e o burro sou eu?

John Bokinski
John Bokinski Day 1,966, 08:08

Special, eu acho que essas formulas são antigas. E sim quando estou a falar de dano quero dizer influencia

John Bokinski
John Bokinski Day 1,966, 08:14

Em resumo, no eRep rising havia um modelo de PvP que tinhas dano e influencia. Mas foi abandona e ficou só a influencia.

Agora com o guerrilha mode é capaz de haver de novo o conceito de dano. Como escrevi acima, não sei ainda qual é a influencia das guerrilha fights nesta análises.

Para ser claro, para análise acima estou a assumir como dano a influencia.

Jazzychaz
Jazzychaz Day 1,966, 08:04

1º o trabalho de descodificar isso perco tempo preciosos... 2º nao dei a formula exacta... dei apenas uma ideia, tu dizes que independentemente das armas que usas dás a mesma influencia.. achei piada ^^lol

"A influência sim; é dependente do ranking militar de cada cidadão assim como da sua força e não tem outras variáveis incontroláveis."

CatelynTullys
CatelynTullys Day 1,966, 10:31

Influencia é o teu hit... Dano depende do adversário

IDEIAS
IDEIAS Day 1,966, 13:01

Votado

Mr Di
Mr Di Day 1,966, 15:27

Muito bem John

PretenderHT
PretenderHT Day 1,966, 16:53

Análise interessante, aguardarei por futuras ilações.
Mas o facto de não termos batalhas também influencia bastante, já nos treinos deve ser mais fidedigno.

Magnus Yankee
Magnus Yankee Day 1,967, 05:11

Boa análise, votado!

 
Post your comment

What is this?

You are reading an article written by a citizen of eRepublik, an immersive multiplayer strategy game based on real life countries. Create your own character and help your country achieve its glory while establishing yourself as a war hero, renowned publisher or finance guru.